MATÉRIA, FORMA E ESSÊNCIA

Sub-título: O caminho cognitivo da Filosofia à Antroposofia

Esse pequeno livro “Matéria, forma e essência” é uma jóia rara. Ele é a transcrição de uma das inúmeras palestras de Rudolf Steiner(1861-1925). Esta daqui, proferida em 1908.

Este livro quer responder a seguinte pergunta: Como se posiciona a Antroposofia dentro da história do pensar?

Para responder essa pergunta, Rudolf Steiner começa justificando a necessidade de autoconhecimento íntimo do homem. Diz que o homem tentou buscar respostas para o sentido da vida, para perguntas existenciais e para suas sensações internas. Mas se deparou com dois obstáculos: as Ciências Naturais e o misticismo.

Com as Ciências Naturais o homem desenvolveu o pensar lógico olhando para o fora, para a matéria. Já o místico desenvolveu o olhar para dentro. Mas como o místico não abandonou os dogmas e interpretações religiosas, o místico não desenvolveu o pensar.

Então, para Steiner, tanto as Ciências Naturais quanto o Misticismo são na verdade obstáculos para o auto-conhecimento. “Quem tem esperanças que as Ciências Naturais sozinhas lhe deêm autoconhecimento é porque ainda não se aprofundou o bastante“, defende Steiner. E todo aquele que já realizou algum caminho místico perceberá nos estágios mais avançados que esse caminho o separa da realidade. Acredita, erroneamente, o místico, que as verdades espirituais não convivem com a pura atividade mental.

Em sua palestra, Rudolf Steiner apresentará as razões porque chegamos nessas duas opções de caminhos, da Ciência Natural e do misticismo. Fará um resgate da história da filosofia. Dirá Steiner que Platão ainda bebia da vidência dos antigos sábios. E que apenas em Aristóteles o homem começa a juntar o mundo externo ao interno. Mas nem tudo que lemos de Aristóteles está correto. Pelo contrário, muita coisa foi simplificada, cortada, mal entendida. Steiner trará o erro de grandes filósofos como Kant que não entendeu os princípios básicos de forma e matéria propostos por Aristóteles (princípios esses que dão título ao livro).

Esse debate sobre os descaminhos que tomaram a filosofia e as práticas religiosas está bem na moda. Há vários livros sobre o assunto. Mas no que Steiner se diferencia dessas críticas é que ele não quer negar as Ciências Naturais ou o misticismo, ele as entende como uma evolução necessária. Com elas, com as Ciências da Natureza e o misticismo, o homem criou as competências cogniscientes para conseguir pensar e trabalhar em conjunto com os planos superiores a partir de um estado de vigília ordinário comum sem necessariamente recorrer a estados alterados de consciência.

A Antroposofia não quer resgatar os antigos saberes dos sábios aceitando-os de forma dogmática e nem quer que o pensar seja especulativo e que se baste em uma lógica racional como faz a Filosofia em um bom pedaço da história. A Antroposofia quer preencher uma lacuna que existe entre Ciências e misticismo. Quer aproximar o espiritual humano ao espiritual universal de forma consciente. A Antroposofia quer o pensar puro, ético, espiritualizado.

Ao livro ficou faltando o desenvolvimento do que ele chama da deturpação da filosofia aristotélica pelos árabes. O autor foi ali, jogou uma pedra e saiu correndo. Precisava ter explicado um pouco mais. Também senti falta de mencionar Goethe, que tanto o influenciou.

Nesse livro, que se lê em um dia, Steiner consegue ser claro e objetivo. Mas mesmo assim, para entender o que ele coloca aí é preciso meditar e conhecer um pouco sobre Antroposofia.

É um livrinho incrível, mas só recomendo aos que estão se adentrando na Antroposofia.

VIDEOS SUGERIDOS PELO AUTOR DESSE POST:

O conceito de Aristóteles que Steiner menciona em seu livro. 2 minutos

Pondé não encontrou a falha do pensamento de Kant, mas Steiner encontrou: lhe faltava, assim como para Pondé, o suprasensorial.

Críticas a Kant. 8 minutos.

posts NOSSOS RELACIONADOS COM ESSE TEMA:

A Filosofia da Liberdade

O livro que funda o pensar Antroposófico de Rudolf Steiner.

Ir ao post

The Socrates Code

Os filósofos entenderam Sócrates errado. Descubra o que ele quis nos dizer...

Ir ao post
PAULO HENRIQUE ARAUJO
Moro em Recife. Desde cedo trabalhei e empreendi em vários segmentos dentro e fora do Brasil. Quando morava na China percebi que deveria dar mais atenção ao caminho espiritual. Além dos cursos e das práticas, os livros também ajudaram na minha jornada. Compartilho aqui alguns resumos na esperança que eles também lhes sejam úteis. Para ver todos os posts de Paulo clique aqui.

Seja avisado de novos resumos. Em média 1 ou 2 livros por semana. Sem propaganda, nem bate-papo. Saia a qualquer hora.

CLIQUE AQUI e seja adicionado à nossa lista de Whatsapp.

Seja avisado de novos resumos. Em média 1 ou 2 livros por semana. Sem propaganda, nem bate-papo. Saia a qualquer hora..

CLIQUE AQUI e seja adicionado à nossa lista de Whatsapp.

Veja posts por autor:

Matéria, forma e essência